Inteligência emocional e sua base no espírito

05/05/2014

Profissionais buscam a excelência, investem até nas emoções; porém esquecem de desenvolver a consciência. 

InteligenciaEmocionaleEspritual 

Olheinfo – A causa da queda do desempenho profissional é proveniente da alma - pensamento, emoção, sentimento (a emoção surge do pensamento e se manifesta no sentimento). É importante entender e separar o corpo e alma do espírito - comunhão, consciência, intuição; para então perceber o valor de cada parte do ser e como podem ser trabalhados. Para dominar a alma/pensamento é necessário ter consciência, do contrário a preparação não trará resultado a longo prazo; logo se perderá na rotina e no dia-a-dia. Tudo que vem do espírito é duradouro, tudo que vem da alma é momentâneo.

 

Não há como preparar um profissional e capacitá-lo de forma excelente sem que tenha consciência. Muitas matérias na área da psicologia, inteligência emocional, administração, gestão de pessoas etc., tentam explicar o comportamento humano e profissional isolando-o da parte espiritual, que muitas vezes é confundida com a própria alma/emoção.

 

Corpo e alma são inseparáveis e vivem na terceira dimensão e se acabam no final da vida. Já o espírito é energia, a parte superior do ser humano que vive na quarta dimensão e pode durar eternamente; é ele o responsável pela consciência, intuição e pela visão a longo prazo. Profissionais com capacidade espiritual podem projetar resultados assertivos de forma superior aos que apenas são inteligentes e capazes, podem também controlar seus pensamentos e estados emocionais e consecutivamente sentimentais.

 

Grande parte dos profissionais se perdem na sua jornada de trabalho por problemas emocionais – pensamentos, emoções, sentimentos –, que afligem suas vidas em todas as áreas, muitos sem volta. Outros conseguem administrar aparentemente bem seus conflitos interiores, porém escondendo sua real situação e seu potencial pleno e produtivo (se já desempenham bem suas funções, poderiam desempenhar ainda melhor se sua base fosse consciente).

 

Profissionais bem sucedidos e infelizes interiormente, são homens/seres destruídos. Não há como separar a felicidade da vida interior de um ser, com sua profissão; ele pode ser bem sucedido por sua imensa capacidade técnica, porém certamente tomará decisões erradas por falta de visão e consciência. Não há homens conscientes infelizes.

 

A consciência é fruto da comunhão com o absoluto, com a criação da vida, por isso aqueles que são conscientes vivem a realidade plena e se satisfazem com a grandeza do cosmos; valor superior e indestrutível. Homens conscientes tem vida própria, não dependem de terceiros para serem felizes. Profissionais com essa característica são inabaláveis e suportam qualquer pressão e condição psicológica imposta pelo mercado.

 

O mercado impõe situações muitas vezes surreais para a mente, insuportáveis emocionalmente. Ao passo que para a consciência poderá tratar-se de simples episódio momentâneo. Nesse cenário muitos mergulham emocionalmente de cabeça e se perdem, outros com consciência se elevam com os problemas e geram soluções duradouras e rentáveis.

 

Um excelente diretor, por exemplo, termina seu casamento e ao mesmo tempo a empresa perde um grande contrato; caso ele esteja emocionalmente despreparado, ficará abalado e poderá cometer erros irreversíveis para o negócio. Se estiver emocionalmente preparado e consciente, será apenas mais um problema imposto pela vida.          

 

Profissional consciente é aquele que vive a realidade, a verdade e está preparado para o incomum. É capaz de dar a volta por cima quando a empresa estiver passando por seus piores momentos. Geralmente não trabalham apenas por salário, mas por prazer em servir e construir. A manifestação da consciência é um atributo que diferencia naturalmente os homens e consecutivamente os profissionais.

 

Por Paulo Eduardo Dubiel
Executivo em Gestão de Negócios, Esp.